abril 18, 2008

Ode O

Odeio a chuva que não molha de verdade.
Odeio a chuva que molha demais [e os guardas-chuvas que não protegem nada].
Odeio a mediocridade de personalidades mal-feitas.
Odeio a mediocridade de perfis bem-feitos.
Odeio a má educação no cinema.
Odeio a má educação gratuita e sem explicações.
Odeio as crianças ingratas.
Odeio as crianças pentelhas demais.
Odeio a seriedade superficial.
Odeio a seriedade artificial [uau..rimou!].
Odeio o conhecimento ilusório que alguns mostram.
Odeio o conhecimento profundo que outros gostam de mostrar.
Odeio as poses para fotos.
Odeio as poses para as pessoas.
Odeio a repetição de assuntos.
Odeio a repetição de emoções.
Odeio a dieta imposta.
Odeio a dieta de pensamentos.
Odeio os cabelos a serem arrumados [rsrs].
Odeio os cabelos muito despenteados.
Odeio as filas intermináveis para o ônibus.
Odeio as filas indeterminadas para comer.
Odeio os sorrisos no orkut.
Odeio os sorrisos amarelos na vida real.
Odeio a falta de dinheiro.
Odeio a falta de noção.
Odeio as lágrimas a serem derrubadas.
Odeio as lágrimas já derramadas.
Odeio a prepotência desmedida.
Odeio a prepotência jornalística.
Odeio o dono mordendo o cão.
Odeio o dono dos meus atos.
Odeio as pessoas que falam no cinema.
Odeio as pessoas.

Tanto ódio só pode levar ao amor.

4 comentários:

Victor disse...

Estou extremamente honrado de ter ajudado a dar a idéia pro post!

Adorei a constatação final.

Stefanopolous disse...

implacável

Prometeu Acorrentado disse...

cara, adorei seu blog!

Letícia disse...

Só não gostei do final. Você não tem que parecer mais amena.