dezembro 10, 2007

Páginas da Vida

Então, você vive sua vida, luta a sua luta, ganha algumas batalhas, estuda aquilo que gosta, tolera aquilo que detesta, ama aqueles que te amam, ama aqueles que apenas gostam de você, odeia aqueles que não gosta, respira quando tem que respirar, come quando sente fome, sai quando sente vontade, ri quando pode, chora quando deve(e quando não deve também), aprende aquilo que não está escrito, lê alguns livros, vê alguns filmes, escuta algumas músicas, bebe algumas bebidas, come algumas coisas diferentes (ou sempre iguais), vai a algumas festas, dança de acordo com as músicas, apaixona-se e desapaixona-se, viaja para lugares que nunca tinha ido antes, viaja em lugares que já conhece, viaja nas pessoas com quem convive, sente-se sozinha às vezes, sente-se insegura às vezes, sente-se triste às vezes, compra um cachorro/gato/hamster/peixe, compra sapatos e roupas e bolsas e colares e brincos, vai à praia ocasionalmente, visita aqueles que ama quase sempre, passa os olhos nos jornais, importa-se com aquilo que te incomoda, cria algumas opiniões sobre assuntos variados, aprende algum idioma estrangeiro, tira fotos, toca a vida de algumas pessoas, faz difeença na vida de poucas, conversa, às vezes, apenas por conversar, fala besteiras, pede desculpas, melhora seu jeito de se olhar no espelho, faz os outros rirem, faz os outros chorarem, faz os outros calarem. Tudo isso, para que?
Para ...morrer.

4 comentários:

Dauricinho disse...

tudo depende do ponto de vista....

apesar q não faço nada disso: para... viver! mas não do jeito convencional ¬¬

Guilherme Dearo disse...

As pessoas devem se sentir orgulhosas de poder de morrer porque, afinal, a morte é um sinal de que já houve vida.

Leia meu último conto. Chama-se Conto I. Ainda haverá várias continuações com a mesma temática e, no final, a junção de todos eles formarão uma idéia.

Essa idéia é, em parte, parecida com o que você expressou nesse texto. Mas ao mesmo tempo muito diferente.

)borbas( disse...

Gui...você só fez esse comentário pra vender seu trabalho literário do seu blog. SEU MERCENÁRIO!!!

Agora pra Delirets!:
Falo o mesmo que o Gui: sento-me orgulhoso de poder morrer. Sabe aquelas "5 coisas com as quais não poderia viver" do Orkut: bastaria uma: morte.

Aliás: DESDE QUANDO VIVER TEM UMA FINALIDADE?!

)borbas( disse...

*ou precisa ter uma finalidade