outubro 23, 2007

Monalisa's Smile

Se a Monalisa pode ter sido simpática um dia, por que não eu?
As cores parecem se apagar às vezes, e outras parece que elas nem existem, mas, acredite, elas existem, mesmo não tendo nomes.
Quando os sorrisos se dissolvem e os olhares se encontram, as palavras confortam. Os amigos estão presentes sempre, isso porque, o próprio sorriso já é em si um presente.
Os anjos descem à terra now and then, é verdade. Só que, diferente do que pensam, eles não passam quando acontece o silêncio, eles passam quando acontece algum tipo de comunicação.
Temos vários anjos em nossas vidas, aqueles que nos guiam em momentos ruins, aqueles que nos fazem rir em momentos mais ou menos, aqueles que aparecem de braços abertos para nos salvar, aqueles que aparecem um tanto atrasados para nos acompanhar,aqueles que nos empurram para fazer algo, aqueles que rezam para que não façamos nada, aqueles que conversam mesmo com sono, aqueles que sempre cantam nos nossos ouvidos, aqueles que nos dão broncas, aqueles que , no final das contas, tornam a nossa vida mais parecida com o Paraíso.
(ou seria com Higienópolis?!)


4 comentários:

João disse...

Aleluia!
Escreveste mais calmamente, será o tema?

Guilherme Dearo disse...

Somos a paleta, o pincel, o cavalete e a tela em branco. Os anjos que nos rodeiam são as cores. A vida em conjunto é o quadro pronto.
Sorrisos colorem a vida. Chega de tons pastéis.

Texto novo no meu blog! Não deixe de comentar...

Letícia disse...

As cores.... é preciso um equilibrio entre o colorido e o preto e branco. Senão o mundo se torna cinza. Ou tão rosa-chocante que nos torna cegos.
E o sorriso.... o sorriso tem que vir da alma. O dela era no rosto.

Letícia disse...

Só no rosto.