julho 04, 2007

In Wonderland

Chasing that rabbit up and above the tree and beneath the hole.
Perseguindo para ver aonde vai dar, sei que a Rainha é muito melhor que imaginava, mas percebi que o chapeleiro doido é menos insano que esperava, e que as verdades do Gato são incômodas.
"Se não importa para onde ir, não importa que caminho tomar."
A pior crueldade que existe é a verdade, nua e crua, sem nenhuma lógica ou explicação.O que é é, o que não pe, simplesmente, não é. No way u can fix it.
O mundo não é um lugar justo, nem o Mundo das Maravilhas é um lugar honesto.
O coelho continua a correr, olhando sempre o seu relógio de bolso; eu continuo correndo, e diminuindo, e crescendo [crescendo?!mesmo?] enquanto a perseguição em baixa velocidade não termina.

Os objetivos mudaram no meio do percurso acidentado, entre histórias,lágrimas, mares, poemas, flores, fogo e chás,saber pra onde ele estava indo..virou trivial, e o objetivo agora é: voltar pra casa, voltar pro lugar seguro.Porque mesmo ao descobrir aonde ele foi, isso não era tudo.
Nossos desejos são maiores que os lugares para onde vamos.
O coelho chegou atrasado, a Rainha se divertiu, o Gato também, o Chapeleiro... todos cupriram seus papéis na história.
Qual é o meu?!

2 comentários:

júlia disse...

Alice!
Mais que perfeito!
Mais que fantástico!
Mais que Mágico!

Me sinto como ela.
Perdida*

vanessa disse...

ql eh o seu papel?!
ahhhh isso depende..vc eh proncipal ou coadjuvante?!?!
ehauehauehauehaueahue ;)
=************