julho 09, 2007

Russian Literature

Não posso viver a minha vida me estressando com o amanhã, muito menos com o que já aconteceu.A ignorância não é uma bênção, mas o total conhecimento também não é.A lógica que é o problema.
Ela deve ser atacada, e negada da nossa vida.Sim, existe um propósito para tudo, mas o grande negócio é que não precisamos saber dele.
Quando algo não tem nome ele não deixa de existir, ele deixa de ter apenas um significado.Uma palavra delimita, um conceito poda, uma idéia pode arruinar tudo.Algumas coisas existem porque existem, tautológicamente assim, não precisam de demais explicações, sozinhas se bastam.
Ela não pode ser salva, nós podemos? Acredito que sim.
Somos feitos de sensações, de prazeres [mundanos ou não], de desejos [lacanianos ou não], de atos e de imaginação. A razão pula da janela quando assiste a isso tudo, e como já disse, ela não morre,apenas sai de cena!
Na literatura russa em que vivemos somos cometidos por momentos de cólera, por crimes e por castigos nem sempre condizentes, por muitas guerras e alguma paz , por muitos idiotas que nos cruzam o caminho e por alguns demônios que nos tentam.
Tudo parece roterizado por que o é.Mas eu ainda não sei o nome do roteirista.

Um comentário:

júlia disse...

Eu já sei que não serei salva...
Pessimismo?
Diria, realismo.